A avaliação de um imóvel é uma tarefa árdua e fundamental, que exige do corretor muita atenção na interpretação do mercado imobiliário. Isso porque, avaliar um imóvel é muito mais do que “colocar um preço de venda ou locação”; é o momento em que o corretor reforçará um laço de confiança com o proprietário, ao colocar o imóvel em evidência de forma atrativa e condizente no que diz respeito ao mercado imobiliário.

Em todos os casos possíveis, exponha seus critérios de avaliação de forma elegante e em tom de conselho, afinal, “para o pai todo o filho é lindo”, e você precisar compreender isso. Sem dúvidas, a clareza e transparência de sua argumentação, pontuando as possíveis dificuldades para comercializar o imóvel em certas condições.

Por isso, considerando toda a delicadeza da situação, por mais experiência que tenha o corretor a ponto de deixá-lo extremamente seguro e confortável ao avaliar o imóvel, algumas dicas sempre podem fazer a diferença com composição do valor de um bem.

Método Geral de Avaliação de Imóveis

O método de avaliação de imóveis mais difundido, justamente por ser mais assertivo, é o Método da Comparação de Dados do Mercado.

Para utilizá-lo, é necessário existir dados históricos suficientes de transações do mesmo tipo de imóvel, na mesma época e localização. Isso porque, os valores de transação refletem o comportamento atual do mercado para imóveis de características semelhantes.

A partir desses valores, o mais indicado é fazer uma média ponderada ou aproximada, uma vez que estão envolvidos não somente os cálculos, mas também a percepção e experiência do corretor ao interpretar e comparar os dados históricos em relação ao imóvel que está avaliando. Afinal, o preço do imóvel que está sendo avaliado precisa estar alinhado ao valores praticados pelo mercado.

A aplicação dos critérios e diretrizes acima estão em concordância com os seguintes níveis de rigor, propostos pela norma de avaliações (NBR 5676) para avaliações:

Nível Expedito

Nível Normal Nível Rigoroso
Refere-se ao nível de rigor em que a avaliação baseia-se na percepção e/ou experiência do avaliador. Portanto, não requerendo embasamento matemático ou estatístico. Refere-se ao nível de rigor em que os fatores da avaliação são considerados e distribuídos de maneira uniforme. Refere-se ao nível de rigor em que os fatores da avaliação requerem embasamento estatístico.

 

—-

Post originalmente publicado em Canal do Imóvel.

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

5 comments
  1. Grrrraaannnde Guilherme! Opinar quanto ao valor de mercado, usando o metodo comparativo e, ou expedito pode ser feito por todo profissional experiente, e que tenha percepção apurada. Necessário o registro CNAI. A avaliação com critério técnico, ou rigoroso, por engenheiros civis especializados. A 4 mãos então, a margem de acerto seria bem maior! Abraço grande!

    1. Olá Ary,

      Mais uma vez obrigado por enriquecer a nossa reflexão com a sua importante opinião.
      Juntos podemos construir um mercado cada vez mais forte e capacitado.

      Vamos quebrar as regras

      Um forte abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


+ sete = 9

Related Posts