No final de dezembro de 2012, desenvolvemos aqui em nosso blog uma análise sobre o que esperar do mercado imobiliário em 2013. Passado um pouco mais de um mês do início deste ano, e já com algumas alterações no cenário nacional, podemos ver na prática que as expectativas anunciadas naquele post começam a ser sentidas pelo mercado.

Diante disso, novos elementos precisam ser inseridos nesta análise que nos leva a refletir sobre como aproveitar melhor as oportunidades que o mercado tem a nos oferecer neste novo ano. Portanto, compartilho com você algumas avaliações e o convido a imergir neste mercado que está em constante transformação e evolução.

 

Classe média em alta no mercado imobiliário

O governo federal, já no início deste ano, se movimentou e anunciou a redução das taxas de juros para os imóveis financiados com valor acima de R$ 500 mil, fora, portanto, do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Além disso, o governo avalia aumentar de R$ 500 mil para R$ 750 mil o valor máximo dos imóveis que o trabalhador pode comprar com o seu saldo do FGTS.

Diante destas medidas percebemos que a classe média brasileira volta a sonhar com a casa própria. A valorização dos imóveis e a pouca oferta de condições diferenciadas para aquisição de imóveis por famílias de alta renda fizeram com que esta parte da população pagasse um preço mais caro.
Contudo, esta nova iniciativa do governo tende a gerar um maior equilíbrio entre as áreas de atuação do mercado imobiliário, contribuindo também para a expansão do segmento de luxo.

 

Fundos imobiliários batem recorde

Os investimentos em fundos imobiliários bateram recorde de volume financeiro médio. No mês de janeiro, este tipo de investimento teve o maior rendimento da história com R$ 26,95 milhões negociados, segundo estudo da Economatica que acompanha os fundos imobiliários negociados na Bovespa.

Podemos destacar que um dos fatores que têm contribuído para estes números é o fato destas aplicações serem isentas de imposto de renda quando feitas por pessoas físicas. Com a baixa taxa de juros, os fundos passaram a ter uma rentabilidade bastante atraente.

 

Tecnologia mobile em expansão

As novas tecnologias continuarão a impulsionar o setor, sobretudo, o sistema de comunicação móvel. Hoje é cada vez mais comum o acesso à internet via mobile, ou seja, pelos celulares e tablets. Este é um recurso que tem forte impacto na vida das pessoas das mais diferentes classes. Entender isto é saber se comunicar melhor com o cliente, é estar onde ele está.

O Google, em parceria com a Ipsos fez uma pesquisa bem vasta sobre o mercado mobile no Brasil, e publicou seus resultados. Vale dar uma olhada para se impressionar com alguns números [link direto para arquivo PDF].

Dessa forma, a empresa que não se adaptar a esta realidade perderá espaço no mercado. Há que se atentar, especialmente, para a otimização dos portais e sites imobiliários para visualização nos celulares e tablets. #ficaadica.

 

Empreendimentos com ofertas de serviço

Uma forte tendência para o mercado será o surgimento de empreendimentos com ofertas de diferentes serviços visando mais comodidade aos moradores como manobrista, serviço de arrumação dos apartamentos, entre outros que apresentam características bem similares a uma estadia em um hotel.

Esta é uma realidade que vai ao encontro das atuais necessidades dos clientes que necessitam otimizar o tempo, que está mais escasso, e prova que o mercado caminha para um crescimento embasado por um planejamento e por pesquisas relacionadas ao comportamento do consumidor.

 

Investimento de capital estrangeiro

O PIB do setor imobiliário superou a marca de R$ 170 bilhões por ano e pode chegar, em menos de uma década, a R$ 270 bilhões, de acordo com um estudo divulgado no segundo semestre de 2012 pela Ernst & Young Terco. Neste montante, há um dado importante a ser analisado: cerca de R$ 5 bilhões a R$ 10 bilhões são provenientes do capital estrangeiro.

O valor registrado em 2012 é recorde, mas ainda é pequeno se comparado ao alto déficit habitacional acumulado em nosso país em função da necessidade de
renovação dos imóveis, do próprio crescimento da população e da diminuição do número de pessoas por moradia.
Dessa forma, podemos entender o investimento estrangeiro como uma oportunidade para maior alavancagem do setor imobiliário que ainda tem muito campo para crescimento.

 

Capacitação da construção civil

A construção civil é um dos grandes vetores de crescimento do mercado devido à importância de sua cadeia produtiva ser bastante extensa. Para acompanhar estas evoluções do setor é fundamental que as construtoras passem a investir mais em mão de obra qualificada para garantir um desenvolvimento sustentável do mercado imobiliário.

 

Regulamentação dos aluguéis built to suit

Outra novidade que promete movimentar o mercado decorre da regulamentação da modalidade de locação comercial built to suit, expressão inglesa que significa construída para atender. Nesta modalidade, o locador do imóvel constrói ou reforma o prédio de acordo com as exigências do locatário.
A sanção da Lei 12.744, que regulamenta este tipo de locação, oferece maior segurança para proprietários e inquilinos, impulsionando o crescimento da modalidade no mercado.

 

Estas são algumas das tendências para 2013 às quais devemos estar atentos.
Diante delas é fundamental que os profissionais do setor estejam aptos a acompanhar a dinâmica e as atualizações constantes do segmento a fim de que saibam interpretar estes cenários e assim atuar de forma mais assertiva melhorando os seus resultados.

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

21 comments
    1. Desde já seja muito bem-vinda ao mercado imobiliário e também ao nosso blog. Avalio como muito positiva as perspectivas para o mercado imobiliário nos próximos anos. Esta tendência de estabilização vem a contribuir para um mercado cada vez mais aquecido, forte e com um crescimento planejado, conforme abordamos no artigo.

      O mercado é bastante dinâmico e precisamos estar atento a ele para sabermos identificar as melhores oportunidades e assim aproveitá-las.

      Abraços e sucesso.

  1. No final de 2013 finalizo o curso de transações imobiliárias e começo a trabalha em seguida.
    Gostaria de saber onde obterei mais resultados, se em imóveis de lançamentos ou usados?
    Obrigado.

    1. Olá Adenildo,

      Desde já seja bem-vindo ao mercado imobiliário. É sempre uma alegria contarmos com a participação dos profissionais que se preparam para entrar no segmento de imóveis, portanto, esteja sempre à vontade para interagir conosco.

      Quero lhe dizer que esta é uma resposta que todo corretor gostaria de ter. Porém, é preciso esclarecer que no mercado imobiliário não tem uma receita pronta. Portanto, não posso lhe afirmar categoricamente em quais dos dois mercados você terá melhores resultados: se em lançamentos ou alugueis, pois assumo um grande risco de lhe dar uma resposta equivocada, uma vez que este resultado é variável.

      Ele depende muito do seu envolvimento, do seu conhecimento sobre a área, da realidade do seu mercado. Então, o que oriento é que você faça primeiramente uma análise do segmento de imóveis da sua região e verifique quais áreas no momento e em uma projeção de futuro são as mais promissoras.

      Depois disso se pergunte: Eu quero atuar neste mercado? Eu me identifico com ele? Terei a motivação, o foco, a disciplina, o planejamento e o engajamento necessários para me sobressair nele.

      É a partir desta reflexão que você mesmo poderá tirar suas próprias conclusões sobre em qual área você terá mais resultados. Posso lhe garantir que se os elementos acima descritos estiverem presentes no seu dia as chances de você alcançar o sucesso são potencializadas, independente da área que você decidir atuar.

      Desejo muito sucesso em sua caminha e que você possa alcançar os resultados esperados.

      Estamos à disposição para ajudar no que estiver ao nosso alcance.

      Juntos somos fortes!!!

  2. Gostaria de saber se é mais viável um pequeno investidor aguardar um pouco mais para realizar a aquisição de algum imóvel, tendo em vista que devido a grande facilidade de obtenção de financiamento por parte dos bancos estatais e privados teremos uma inadimplência relevante daqui há 12 e ou 24 meses e uma queda brusca no mercado sendo uma situação ímpar para aproveitar a queda e consequentmente a grande oferta de imóveis; realizando assim as compras nesse período de suposta resseção. Percebo que muitos clientes estão fazendo compromissos de financiamentos que fatalmnte não irão conseguir sustentar as prestações. Atenciosamente Yuri Araújo

    1. Olá Yuri,

      É importante ressaltar que mesmo com o aumento do crédito imobiliário, a inadimplência ainda está baixa. Na CEF, por exemplo, que tem quase 70% de volume de financiamento do mercado, a inadimplência não chega a 2% dos contratos em carteira.

      As instituições financeiras mantêm rigor nos critérios de seleção dos projetos a serem financiados, bem como em relação aos compradores dos imóveis. O Banco Central, por sua vez, mantém-se atento ao comportamento do mercado. O sistema de amortização crescente (SAC) adotado pelo Brasil, em que a prestação inicial é mais alta do que no tradicional sistema Price, usado nos empréstimos em geral, faz com que a amortização da dívida ocorra em velocidade maior.

      Mas temos que estar atento ao mercado e sua observação é bastante pertinente. Dessa forma, acredito que o momento é muito oportuno para investir no mercado imobiliário. Os preços estão estáveis na maioria dos estados e os juros baixos favorecem ainda mais o investimento.

      Agradecemos a sua participação e envolvimento em nossa reflexão. Esteja sempre à vontade para interagir conosco.

      Até a próxima.

  3. Olá Sr. Guilherme Machado,
    Parabéns pelo site, valiosas informações e análises.
    Se você puder, gostaria que postasse o link do estudo divulgado pela Ernst & Young Terco, sobre projeções do PIB do mercado imobiliário.
    Obrigado, desde já.
    Abraços

    1. Olá Renan,

      Não tive acesso à pesquisa completa, mas antes de repassar a informação aqui em nossa reflexão fiz questão de pesquisar em vários sites para verificar a veracidade dos dados, a exemplo desta matéria que foi publicada no Jornal de Brasília, e compartilhada no site Ecofinanças:

      http://www.ecofinancas.com/noticias/mercado-imobiliario-brasileiro-tem-recorde-capital-estrangeiro

      Espero que possa ajudar.
      Até breve!

  4. Olá Guilherme,

    Fundos imobiliários, esse é um assunto que me desperta a curiosidade. Queria sugerir uma matéria a respeito, mas com a sua visão e palavras, uma linguagem “acessível”. Procurei me informar em sites especializados e não consegui entender.

    1. Tudo bem, Augusto?

      Agradeço o importante feedback e também pela sugestão de tema. Já estamos anexando-a em nossa curadoria de conteúdo. Sinta-se sempre à vontade para participar, sugerir temas para nossa reflexão e compartilhar experiência, afinal, este é blog é nosso e a interação de vocês só vem a contribuir para um trabalho cada vez melhor.

      Juntos somos fortes!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


oito − 6 =

Related Posts