As vendas de imóveis residenciais novos na capital paulista somaram 4.087 unidades em março, um aumento de 83,9% em relação às 2.223 unidades do mesmo mês de 2012. Com isso, as vendas no primeiro trimestre totalizaram 6.862 unidades, alta de 27,1% ante o mesmo período do ano passado, de acordo com pesquisa publicada nesta sexta-feira, 17, pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

O resultado foi considerado surpreendente pela instituição, que projeta alta de até 5% nas vendas em 2013, chegando a aproximadamente 28 mil unidades. O resultado do primeiro trimestre – que é considerado o mais fraco devido a fatores sazonais, como incidência de feriados e despesas familiares mais altas – já equivale a 24,5% da projeção do Secovi-SP, divulgada em fevereiro.

As vendas movimentaram R$ 4,48 bilhões, crescimento de 52,8% ante os R$ 2,93 bilhões do mesmo período de 2012, segundo valores já atualizado pelo INCC-DI. Na avaliação do Secovi-SP, essa alta nos valores foi motivada por um volume maior de lançamentos e vendas de unidades de quatro dormitórios, que têm preços mais elevados.

A pesquisa mostrou também que a velocidade das vendas no começo de 2013 está em patamar semelhante ao de 2012. A velocidade (medida pelo total de unidades vendidas dentre o total de projetos lançados) foi de 59,9% nos últimos 12 meses encerrados em março, ante 60,1% no mesmo período do ano anterior.

O volume de imóveis lançados entre janeiro e março totalizou 5.321 unidades, 43,9% mais que no mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp) para o Secovi-SP.

Região Metropolitana

As vendas acumuladas no primeiro trimestre na região metropolitana de São Paulo somaram 11.496 unidades, com crescimento de 18,5% diante das 9.703 unidades em igual período de 2012. A capital paulista participou com 59,7% do total vendido e com 67,0% do volume lançado na Grande São Paulo, de 7.938 imóveis no período de janeiro a março deste ano.

Comerciais

As vendas imóveis comerciais (salas e escritórios, sem considerar grandes lajes corporativas) somaram 684 unidades no primeiro trimestre, com valor geral de vendas (VGV) de R$ 404,9 milhões. No período, foram lançados 568 conjuntos. A pesquisa de imóveis comerciais passou a ser realizada pelo Secovi-SP neste ano. Portanto, não tem base de comparação com o ano anterior.

—-

Post originalmente publicado em Território Eldorado

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

3 comments
  1. Boa tarde Guilherme,

    caro amigo você pode ser mais esclarecedor neste tópico:

    *

    É importante que hoje o corretor de imóveis consiga antecipar as tendências do mercado. Para se diferenciar do senso comum e se destacar no setor, é necessário sempre buscar informações para revolucionar a sua maneira de agir de alguma forma. A maioria dos profissionais focam apenas no que está a sua frente, faltando, assim, uma visão 360º de análise do todo e não apenas das partes

    Read more: http://www.jornaldoimovelbrasil.com/2013/05/corretor-de-imoveis-6-caminhos-que-o.html#ixzz2TZzF0ARV.

    Att.

    Cesar.

    1. Olá Cesar,

      O que quisemos passar com este argumento, é que o corretor precisa estar atento ao mercado, estudando as suas variáveis e sinais a fim de conseguir prever algumas tendências de futuro e assim se preparar melhor para aproveitar as oportunidades.

      Um exemplo é esta pesquisa que compartilhamos, ela nos dá um importante indicativo: a alta na venda de imóveis residenciais novos, um corretor que se antecipa às tendências, diante de uma informação como essa irá se perguntar: como esta pesquisa se reflete no mercado em que atuo? O que posso fazer para aproveitar esta informação dentro da minha realidade?

      Isto é pensar fora da caixa, é sair do senso comum para se diferenciar, fugindo de receitas prontas e buscando suas próprias técnicas.

      Costumo dizer que o profissional com esta característica tem uma visão 360º, pois suas ações não estão focadas simplesmente na venda, mas em todos os elementos que compõem este processo, tais como: o mercado, o perfil do cliente, a realidade da região em que o imóvel está sendo ofertado, as políticas de crédito, dentre tantas outras variáveis que são fundamentais para um atendimento eficiente.

      Estamos à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas.

      Juntos somos fortes!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


5 × = cinco

Related Posts