De acordo com os principais indicadores de desempenho, o inicio do ano foi marcado por resultados variados no mercado imobiliário. Na cidade de São Paulo, por exemplo, a venda de imóveis novos residenciais sofreu uma baixa em janeiro: 848 contra 1.068 unidades do ano passado. A variação foi de -20,6% em relação ao mesmo período. Já a região metropolitana apresentou, no mesmo mês, um saldo positivo, com a comercialização de 2.150 unidades em comparação às 1.929 no ano passado. O crescimento foi de 11,5%.

Mas é só o começo. Tem muita coisa para acontecer ainda. Segundo o presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), Claudio Bernardes, as perspectivas são boas para 2013; a previsão é de que a taxa de juros, principal delimitador do mercado, se mantenha no patamar de 7,25%. Boa notícia. Os preços dos imóveis vão continuar reagindo à lei da oferta e procura. Conforme o presidente não há possibilidade de reduzir, nem aumentar o valor das unidades. “Falta de terrenos e os trâmites burocráticos acabam elevando o custo final dos imóveis”, concluiu Bernardes.

Esses motivos ajudam a explicar a retração no número de lançamentos do ano passado, de 27%, em relação ao ano anterior. Foram 27.935 unidades frente 38.149 em 2011. A expectativa é retomar os lançamentos em 15%, para garantir as vendas com a demanda aquecida.

Claro que por trás disso a concessão de crédito imobiliário ajuda na aquisição da casa própria. Em 2009 foram financiados com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança de Empréstimo (SBPE) R$ 35 bilhões, mas o recorde foi batido mesmo em 2012, com a soma de R$ 82,8 bilhões. Embora o valor esperado para este ano tenha reduzido, ainda assim, a concessão de crédito será de R$85 bilhões, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito
Imobiliário e Poupança (Abecip).

Bom sinal para quem está pensando em comprar a sua casa própria. Em São Paulo espera-se uma retomada na comercialização dos imóveis, de 26.958 imóveis novos residenciais em 2012, para 28 mil unidades, um aumento de 5% sob o ano passado. Parece um cenário confortável, pelo menos controlável, tanto para os profissionais do segmento imobiliário quanto para o público que ainda sonha com a casa própria.

Post originalmente criado por Renata Hernandes, do Portal de Imóveis VivaReal

Conheça nossa página no Facebook, e assista nosso Intelicast, o videocast do mercado imobiliário.

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

3 comments
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


+ 9 = onze

Related Posts