A morte, na maioria das vezes, está associada à ideia de tristeza, mas hoje queremos encará-la sob um novo prisma, com olhos otimistas que vislumbram neste momento a oportunidade de transformação.

Muitas vezes tentamos encontrar uma receita pronta para alcançarmos o sucesso ou procuramos um culpado para os nossos fracassos. Mas não há receita e não existem culpados, a não ser nós mesmos. O que nos falta, muitas vezes, é a coragem para matar. Matar velhos hábitos, velhos costumes e velhas crenças.

Para atingirmos o sucesso, independente da área na qual atuemos, é importante construir o entendimento de que precisamos matar aquilo que nos impede de alcançar os nossos objetivos, de seguir em frente.

Costumo dizer que, muitas vezes, nos comportamos como aqueles ratinhos de laboratório que passam o dia inteiro correndo em uma roda giratória dentro da gaiola. Corremos sem ter um objetivo, repetimos
sempre a mesma rotina, nos cansamos e não chegamos a lugar nenhum e assim, a vida vai passando.

Uma coisa que tenho observado nesses últimos anos, principalmente no setor comercial e mais particularmente na minha área de atuação, que é o gerenciamento de equipes com foco em resultados, é que as pessoas já estão pré-dispostas a justificarem as suas falhas.

Ao invés de se esforçarem para atingir o objetivo, a buscar novas inspirações, elas concentram suas forças na busca por desculpas. Esta atitude acaba com qualquer possibilidade de sucesso.

Aventuro-me a dizer que, em algumas situações, a ideia de mudança de postura, da saída da nossa zona de estabilidade e do próprio conceito de matar e morrer nos provoca medo e pode até mesmo ser doloroso, mas é preciso ousar.

Para ser um líder de sucesso, você deve matar o colaborador individual que habita em você. É preciso matar o profissional que pensa que os resultados das ações dependem, exclusivamente, do seu próprio esforço.O líder sabe da importância da coletividade, do trabalho em equipe.

Para ser um atleta vitorioso é necessário matar a preguiça, o desânimo e, muitas vezes, até o cansaço. O esportista precisa melhorar seu desempenho, intensificar o seu treinamento, se comprometer com os
resultados.

Para sermos pessoas de sucesso na vida pessoal e profissional devemos matar o pessimismo, matar o impulso de dizer frases como “eu não vou conseguir”, “não vai dar certo”, “o que os outros vão pensar de mim”, “eu vou desistir”, entre tantas outras que nos colocam em uma condição de derrota antes mesmo de começarmos a lutar.

Poderia dar vários exemplos de situações que acontecem em nosso dia- a- dia e para cada um deles encontraríamos atitudes e posturas que deveriam ser renunciadas em prol de um objetivo maior que dá sentido a nossa vida.

Porém, não quero aqui propor nenhuma receita, pois conforme já abordado, elas não existem. Cada pessoa é um ser único, com sua própria história de vida e desafios e se houvesse uma receita pronta, para cada
uma delas deveria existir uma composição diferente.

Contudo, ouso dizer que devemos ir em busca daquilo que nos faz feliz. O sucesso deve ser o princípio ativador desse processo de mudança e não o seu fim. Essa transformação deve ser para melhor, pois, caso contrário, não haverá um comprometimento verdadeiro.

Esse processo de mudança não será fácil, mas é importante estabelecer metas mensuráveis, comemorar cada etapa vencida, colocar essa mudança de atitude como prioridade em sua vida e comprometer-se com
ela.

Portanto, mate as limitações que o impedem de alcançar os seus objetivos. Se for preciso, morra para renascer uma pessoa transformada. Deixo para vocês um pensamento que tem inspirado a minha vida e
espero que também possa inspirá-los: O sucesso depende do processo de transformação daquilo que estamos acostumados a fazer por aquilo que precisa ser feito.

Volto à reflexão do começo deste post: você está preparado para a revolução? Compartilhe conosco sua opinião, ela é muito importante.

Já me segue no twitter? >> @rg_machado. Acompanhe todas as novidades sobre o mercado imobiliário, empreendedorismo e inovação.

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

4 comments
  1. Maravilha de texto, obrigado, Guilherme. Ele vem de encontro ao que venho pregando aos meus colaboradores, meus corretores. É difícil adotar, colocar em prática no dia a dia, mas nada é impossível. Muito obrigado pelos textos que coloca a disposição, parabéns.

  2. Obrigado, Acacio. Seu feedback é muito importante. Ratifica nossos ideais e nosso compromisso em desenvolver textos que levem a uma reflexão e que dessa maneira, exista uma mudança de comportamento e consequentemente leve ao sucesso.

    Você citou em seu comentário, das dificuldade em adotar os comportamentos certos e “matar” os que nos impede. Concordo com você. Mas vamos pensar juntos? São exatamente eles que nos fazem diferentes e exclusivos, certo?

    Sinta-se sempre à vontade de compartilhar e interagir conosco.

    Eu e toda equipe agradecemos.

  3. Parabéns pelo texto. Somos seres imperfeitos e em plena construção. Devemos largar o velho para trás e adquirir qualidades que visam um potencial crescimento como profissionais, ou melhor, ainda como seres humanos.

    1. Olá Wender, muito bom seu comentário. Inspirador. Concordo plenamente com sua análise. A mudança profissional é consequência da pessoal. Transforme-se numa pessoa melhor e será um profissional melhor. Essa transformação tem de ser de dentro para fora.
      Obrigado pela visita ao blog e pelo seu comentário enriquecedor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


2 − um =

Related Posts