A combinação das vendas de lançamentos com as de unidades em estoque foi determinante para o resultado “surpreendente” do mercado imobiliário no primeiro semestre deste ano.

Segundo o Secovi-SP (sindicato do mercado imobiliário) anunciou na terça-feira (13), as vendas de imóveis novos na cidade de São Paulo cresceram 46% em relação ao primeiro semestre do ano passado.

A entidade também revisou a previsão de crescimento de vendas para este ano — de 5% para 30%. A estimativa é que as vendas cheguem a 35 mil unidades até o fim do ano, frente a uma previsão inicial de 28 mil. No ano passado, foram negociadas 27 mil unidades.

O vice-presidente de incorporação da construtora PDG, Antônio Guedes, diz que as dificuldades para aprovar projetos na prefeitura no fim de 2012 fizeram as construtoras apostar nos estoques.

“Como houve menos lançamentos no fim do ano passado, as empresas colocaram os estoques para vender. No início deste ano, a prefeitura destravou a aprovação e vieram os lançamentos no segundo trimestre”, diz.

PROMOÇÕES

O diretor de vendas da construtora MBigucci, Robson Toneto, diz que já negociou 90% das unidades lançadas neste ano e hoje trabalha, basicamente, com unidades remanescentes.

“Já vendemos praticamente tudo o que lançamos no primeiro semestre. O que temos hoje é estoque e a esperança é liquidá-lo até o final do ano. Estamos fazendo algumas promoções para ficar só com os lançamentos”, conta Toneto.

A construtora oferece, até 10 de setembro, unidades em empreendimentos já prontos em São Bernardo do Campo e Santo André com a distribuição de prêmios como TVs LED de até 55 polegadas, geladeiras e videogames Xbox.

O diretor de incorporação da Esser, Nick Dagan, se diz surpreso com a força do mercado neste ano.

Em um empreendimento de apartamentos de 29 m² e 41 m² na avenida Ipiranga, no centro de São Paulo, todas as unidades foram negociadas de um dia para o outro, segundo ele. Para o segundo semestre, a Esser tem mais três lançamentos previstos.

O diretor financeiro e de relações com investidores da incorporadora Eztec, Emilio Fugazza, vê a retomada como parte de uma “demanda inercial” do mercado paulistano.

“Numa cidade de 11 milhões, se 2% da população tem esse anseio, estamos falando em 220 mil pessoas. Se você pegar quatro pessoas por residência, a demanda inercial é de 55 mil unidades por ano”, explica.

Em balanço divulgado nesta semana, a Eztec anunciou crescimento de 191% nas vendas no primeiro semestre.

SHOWROOM

A construtora iniciou uma campanha neste fim de semana para a venda de unidades represadas e inaugurou um showroom. São apartamentos em mais de 40 obras prontas e em andamento com até 20% de desconto.

Até o fim do ano, a Eztec tem mais cinco lançamentos programados.

Carolina Daffara/Editoria de Arte/Folhapress

 

—-

Post originalmente publicado em Folha Uol.

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


dois × 6 =

Related Posts