“Este mês é período de férias e as pessoas viajam”, “final de mês é complicado”, “este mês tem carnaval e os clientes estão mais preocupados com a folia”, “ninguém está comprando”, “está difícil para todo mundo”.

Você, possivelmente, já ouviu ou até mesmo já usou algumas dessas desculpas e tantas outras respostas para explicar as baixas nas vendas, não é verdade? E se tem uma ocasião onde os corretores de imóveis abusam da sua criatividade para tentar explicar o fracasso nas vendas é depois da realização dos chamados salões ou feirões de imóveis.

Estes grandes eventos para venda de imóveis são terrenos férteis para observarmos as principais diferenças entre os profissionais da intermediação que dedicam seu tempo para buscar desculpas para a não realização da venda e os corretores que são exemplos de comportamento e de boas vendas.

Ao longo da minha carreira como corretor de imóveis, participei de vários salões de imóveis e aprendi muito com cada um deles. Hoje, utilizo as experiências vividas para nortear a minha atuação como gestor e consultor do mercado imobiliário e para orientar os profissionais do setor sobre o que não fazer e o que seguir no processo de vendas.

Já refletimos aqui no blog sobre algumas atitudes e comportamentos que o corretor de imóveis deve ter para se tornar um bom profissional. No artigo de hoje, refletiremos sobre o contrário: o que não deve ser feito em uma negociação por meio de cinco desculpas que impedem o corretor de imóveis de vender. Vamos aprender juntos.

1. Justificativa

Muitas vezes, o corretor de imóveis perde muito tempo justificando seus erros, tentando achar explicações para compensar as suas falhas. Não podemos ter na justificativa o certificado que nos permite não vender.

As justificativas funcionam como um tapa-olho que impede de enxergar as oportunidades que surgem em nosso caminho, pois o corretor vai estar sempre procurando uma explicação e não vai se preocupar em avaliar onde errou, para assim, buscar aprimorar os seus procedimentos e melhorar os resultados.

2. Sorte

Esta é a desculpa que mostra certo grau de imaturidade e falta de profissionalismo do corretor de imóveis, pois ele tenta identificar em outros colegas de profissão a explicação para o próprio fracasso, e é comum ouvirmos coisas do tipo “o corretor tal teve sorte” ou “esse não foi o meu mês de sorte”.

A sorte é uma variável com a qual o corretor não pode contar, pois ela é reflexo de elementos externos. E o corretor, que quer ser um campeão de vendas, deve entender que é ele mesmo quem faz a sua própria sorte.

Mas essa sorte não deve ser entendida como uma possibilidade remota, mas a consequência efetiva de um planejamento que leva em conta a capacitação, a busca por informações, a profissionalização. A sorte, contudo, não deve ser o fim de um planejamento, mas um estímulo para atingir os objetivos.

E isso inclui atitude. Não adianta esperar que a sorte bata na sua porta sem que você faça nenhum esforço. É imprescindível preparar os caminhos para que ela chegue até você; O corretor precisa ser proativo, prospectando clientes, estudando os mercados e construindo relacionamentos.

3. Eu acho

O “achismo” é a pior estratégia de qualquer profissional. Imagine a seguinte situação: quando uma pessoa está com um problema de saúde, ela procura por um médico. Ao ser atendido, o paciente recebe o seguinte diagnóstico: “Eu acho que pode ser uma dor de barriga, mas também pode ser um princípio de úlcera”.

Você confiaria nesse médico? Seguiria o tratamento indicado por ele? Possivelmente não. O mesmo acontece no mercado imobiliário. Se um cliente o procura é porque quer uma resposta para algo que não conhece e busca por um profissional para atender as suas expectativas.

Ao ser atendido por um corretor mestre no “achismo”, esse cliente terá sua expectativa frustrada, pois não teve sua dúvida sanada e a consequência disso, inevitavelmente, será a não realização da venda, pois o corretor de imóveis não foi capaz de passar segurança e confiança para o cliente que o procurou, depositando nele os sonhos de uma vida.

4. Não tenho tempo

Você tem tempo para ganhar dinheiro? Se a sua resposta for não, então sinto dizer que você está na profissão errada. Se tratando da corretagem imobiliária, saber administrar o tempo é imprescindível e desculpa como essa é inaceitável.

O corretor de imóveis precisa organizar seu tempo para conhecer os imóveis, para estudar as tendências do mercado, se capacitar e se relacionar com o cliente. Associo tempo a estímulo. O corretor precisa estar o tempo todo estimulado a dar o seu melhor e a fazer bons negócios.

São esses estímulos que vão impulsioná-lo a conhecer mais sobre o mercado e a atingir os objetivos profissionais. Tempo todos nós temos, desde que entendamos que precisamos melhor administrá-lo.

5. Não gosto

Esta é uma frase muito usada por um corretor que não vende bem. Contudo, essa expressão deveria ser abolida, pois o profissional da intermediação tem a missão de proporcionar a melhor experiência de compra para o cliente e não para ele próprio, pois, obviamente, quem está comprando é o cliente e não o corretor.

O profissional da intermediação imobiliária não deve mostrar apenas aqueles imóveis que ele gosta. Os aspectos que devem ser avaliados são perfil e o gosto do comprador, pois é este que dispõe do capital necessário para a efetivação do negócio.

O corretor, que age impulsionado apenas por seus próprios gostos, perde a oportunidade de construir um relacionamento com o cliente, relacionamento esse que é fator preponderante para a realização do negócio.

O corretor, que é um bom vendedor, entende que sua função é ser uma ponte entre o seu conhecimento de mercado e o desejo do cliente. O desejo mais o conhecimento resultarão no sucesso da venda.

Pense na seguinte lógica: o que o corretor tem que o cliente não tem? O conhecimento do mercado. E o contrário: O desejo de comprar o imóvel e o recurso para isso. A soma desses dois fatores são os principais promotores da realização da venda.

A prática nos mostra que o que não falta são supostos corretores de imóveis que ainda não perceberam a importância da profissionalização para crescimento e valorização do mercado imobiliário.

Fugir dessas e de tantas outras desculpas que não foram elencadas aqui é fundamental para o desenvolvimento da carreira de corretor de imóveis. É necessário entender que é a atitude do corretor que o colocará no grupo dos corretores vencedores ou no grupo dos que inventam desculpas. Saber fazer e não fazer é o mesmo que não saber. #ficadica

E você, já passou pela experiência de ter que lidar com alguma dessas desculpas, seja ouvindo essas explicações ou utilizando-as para justificar os maus resultados? Como foi essa vivência? Que outras desculpas você tem percebido nesse mercado? Compartilhe conosco e vamos construir um mercado imobiliário cada vez mais profissional e qualificado.

Já curtiu a nossa página fã? >> FB/guilhermemachado.blog
Acompanhe todas as novidades sobre o mercado imobiliário, empreendedorismo e inovação.

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

45 comments
  1. Estou me preparando para fazer parte deste campo profissional e considero a boa comunicação e a vontade de fazer como meios primordiais para alcançarmos a nossa satisfação pessoal. Esta é a primeira mensagem que leio em seu blog e concordo com o seu posicionamento, desta forma, desejo, se possível, receber em meu e-mail as suas postagens. Desejo que o seu sucesso seja, após o meu contato, maior ainda do que hoje estou constatando. Cordialmente.

    1. Olá Severino, seja bem-vindo ao nosso blog e ao mercado imobiliário.

      Fico satisfeito que tenha gostado de nosso texto.

      Em relação aos recebimentos de nossos textos em seu e-mail, peço que faça o cadastramento em nossa newsletter na barra lateral do blog em cima do podcast.

      Sucesso e obrigado.

  2. Excelente artigo Guilherme. Gostaria de ver sua opinião sobre o que fazer quando, tendo todo o conhecimento do mercado e dar um excelente atendimento ao cliente, mesmo assim ele não compra e fica te enrrolando, dando desculpas ao telefone, tais como: estou numa reunião, me liga daqui a 30 minutos; estou em viagem, volto na semana que vem; estou analisando com minha esposa para poder fazer uma proposta; pode deixar que eu te ligo assim que resolver, etc.. Já vivi muito isso e tenho a impressão que o cliente bem atendido, me parece que ele fica com vergonha de dizer que não vai comprar, ou porque viu outro imóvel mais e conta prá ele, ou porque não tem dinheiro para compra. O que você acha do assunto?
    Grato,

    1. Edson, seu comentário é muito pertinente e enriquecedor. Essa situação já aconteceu comigo diversas vezes e confesso que demorei a entender.

      Acredito fielmente que nessa ocasião algumas variáveis devem ser levadas em conta:
      1 – Perdi o “time” do cliente e consequentemente do envolvimento que me levaria ao fechamento;
      2 – Minha comunicação não foi passada de forma clara, o que me fez não ser entendido pelo cliente;
      3 – Não tinha as informações necessárias que o cliente queria.

      Enfim, como não tenho o caso detalhado em mãos, posso “viajar” por muitas situações. Mas acredite: Se isso aconteceu ou acontece, o conhecimento de alguma forma (se realmente o tenho) não foi passado da forma que o cliente gostaria ou queria. Pois bom atendimento é o que todos buscam e querem.

      Espero ter contribuido.

      Abraços

  3. Muito bom o artigo, reflete na íntegra o que acontece com os profissionais que se acomodam, principalmente em determinadas épocas do ano como os meses com feriados.

    Guilherme, a sua vivência no mercado compartilhada em seus artigos nos faz refletir e muito em nossa postura profissional o que está sendo muito importante para aprimorar o meu desempenho profissional. Parabéns e obrigado.

    1. Obrigado pelas palavras e feedback, Raphael. Convido você a compartilhar suas experiências conosco e envolver-se em nossas leituras. Vamos juntos fazer um mercado cada vez mais forte e profissional.

      Abraços

  4. Guilherme, ótimo artigo! Tive oportunidade de ouvi-lo contar essas experiências. Mas quero lhe perguntar: Você acredita mesmo que o mercado não tem oscilações?!? Que conforme a idéia apresentada teriamos que manter uma regularidade de vendas!?! Acredito sim que muitas vezes somos culpados pelas nossos resultados. Porém apesar de não ser tão experiente, conheci pessoas que me disseram por exemplo do ano de 2008, que tivemos a crise, que o ano não foi bom. Sei que não é o caso. Mas o que você me diz analisando a época(2008) que você vivenciou?

    1. Olá Romulo, obrigado pela participação. Seu comentário/questionamento é totalmente pertinente. Mas o que acha de analisarmos juntos? Acredito fielmente que o mercado sofre oscilações. E não devemos manter uma regularidade de vendas, devemos nos superar a cada momento. Profissionais como você, que identificam essas oscilações fazem uma grande diferença no mercado.

      Reflita comigo: já percebeu que as principais mudanças acontecem exatamente em momentos difíceis? São justamente esses momentos que nos estimulam a darmos o nosso melhor e pensarmos fora da “caixa”.

      Vamos a alguns exemplos:

      1 – Crash de 1929 – No Brasil, significou a crise do café da década de 1930. Conclusão: Impulsionou a industrialização do país.

      2 – Crise do petróleo de 1973 – Os petroleiros assustam os brasileiros, que acabam desenvolvendo o álcool da cana de açúcar como combustível alternativo.

      3 – Moratória mexicana de 1982 – Foi a primeira da América Latina. O Brasil também sentiu suas consequências, reagiu com o processo de redemocratização, que também visava recuperar a economia.

      4 – Tigres asiáticos de 1997 – O Brasil, com as taxas de juros atraentes para investidores, sente sensivelmente os efeitos da globalização e abre portas para as transnacionais.

      5 – Crise dos EUA de 2008 – A especulação imobiliária dos Estados Unidos repercutiu no mundo inteiro. E o Brasil, sentiu? Sem dúvidas. Mas te pergunto: Passamos? Saímos mais fortes ou mais fracos? Somos hoje vistos como uma promessa econômica ou como uma realidade?

      Reflita e análise cada crise dentro do mercado imobiliário e como elas nos fortaleceram e nos fez sairmos mais fortes.

      Essa é a diferença do profissional que busca desculpas para aquele que está preparado. Pois será esse seu grande diferencial competitivo e estratégico.

      Sucesso e que venham novas “crises”.

  5. Parabéns pela inciativa em repassar seus conhecimentos e experiências e deixando seu legado.

    Mas penso ser importante no Brasil, selecionar melhor os corretores e corretores…deveria ter um selo de qualidade de atendimento e conhecimento no mercado imobiliário e estes seriam mestres e orientadores dos corretores inexperientes e despreparados. Assim a categoria será cada vez melhor e respeitada. O que você acha?

    Sucesso!

    1. Obrigado pelas palavras Clarice. Fico grato por ter gostado dos nossos textos. Essa foi uma das formas que busquei para fortalecer o mercado. Compartilhando minhas experiências e vivências como corretor de imóveis.

      Em relação a sua sugestão, penso que seria um caminho. Mas entendo que devemos discutir melhor o assunto. Acredito em uma capacitação e em um plano de desenvolvimento profissional. Hoje as pessoas simplesmente estão virando corretores da noite para o dia. Será que com os monitores/mestres eles não continuariam despreparados? Pois esses monitores não estariam full time com esses iniciantes. Dessa forma, não conseguíriamos passar a imagem que gostaríamos. Pode ser que o desenvolvimento contínuo talvez sim. Mas esse é uma debate amplo.

      Sua participação e questionamentos foram excelentes.

      Por enquanto, o que acha de continuar lendo e participando do nosso blog e de nossos artigos e dessa maneira começarmos juntos a fortalecer e melhorar o nosso mercado? Acredito fielmente numa frase que sempre me acompanha: Juntos somos fortes!!

      Abraços e sucesso.

  6. Guilherme, ótima mensagem, vou te dizer uma coisa quando atendo um cliente no telefone, filtro e tiro todas as informações possíveis para leva-lo para visita do imóvel, e outra não fico pensando se o mercado está bom ou ruim, eu faço acontecer, procuro sempre estar a procura de um cliente comprador, ja visite imobiliárias onde os corretores estão no msn batendo papo, enquanto estou atendendo uma venda, pois eu tenho que estar atento a tudo que acontece no mercado e fora dele, pois eu vivo de vendas e não posso esperar nada cair do ceu, então eu vou a luta e graças a Deus meus negócios estão caminhando e muito bem ok abçs Marcelo

    1. Isso mesmo, Marcelo. Acreditar sempre. Atitude é o grande diferencial do corretor de sucesso. E pelo que disse, você é um deles.

      Parabéns e obrigado pelo envolvimento em nosso blog e pelo seu feedback.
      Abraços

  7. Concordo com todos os itens, para mim existem 03 tipos de Corretor, o que faz acontecer, o que ve acontecer e o que aconteceu e ele nem viu.
    Hoje o Corretor tem que esta preparado e atualizado, aquele Corretor que fala demais esta fora do mercado.
    Grande abraço, Nilton Rondon.

  8. Guilherme, primeiramente parabés pelo seu artigo. Passei por isso mês passado pelos dois motivos: querer vender algo do meu gosto e me ancorar em desculpas para explicar o péssimo resultado. Com conscientização e determinação para concretizar minhas metas, este mês estou tendo ótimos resultados e vendo todos os produtos que a empresa têm, de acordo com o cliente.
    Obrigado pelo artigo!
    Continue postando, pois sou novo no mercado e sempre estou estudando, e ter um conselho destes ajuda muito no meu profissional e resultado.

    1. Seja bem-vindo a profissão e ao nosso blog, Márcio. Parabéns pelo engajamento.

      Sinta-se sempre à vontade para interagir conosco e sugerir temas. Sua participação é essencial para continuarmos com conteúdos relevantes.

      Desejo sucesso na sua trajetória.

    1. Olá Herculano, agradeço seu comentário. Muitos dos textos que escrevo são experiências próprias que compartilho.

      Em relação a cursos/workshops, sempre existem bons cursos acontecendo.

      Quer uma dica? Procure se informar em sua cidade ou cidades próximas.

      Aqui no ES, por exemplo, estamos realizando o workshop Corretor 360o com grande sucesso.

      Convido a conhecer pelo link: http://migre.me/9iBFq

  9. Amigo

    Boa noite

    Gostaria de algumas dicas, sugestões para um corretor iniciante, que caminho seguir, qual é a direção. Sou técnico em informática e acompanho esse mercado de perto pois tenho na minha carteira de clientes algumas imobiliárias. Vou realisar em breve o curso para corretor no Creci.
    Observo o dia a dia dos corretores seus comentários sobre lançamentos, feirões, locações etc. A minha duvida é quanto ao inicio, seria melhor fazer estagio em uma corretora de imóveis pequena e depois focar em outra média e grande ? Quais seriam os passos certos ?

    Muito obrigado
    Até breve
    Marcelo Cabral

    1. Marcelo, agradeço sua visita ao blog. Em relação aos seus questionamentos devemos analisar algumas variáveis:
      1o – Toda mudança gera receio.
      2o – Todo início é difícil.

      Em relação a melhor imobiliária, pequena ou grande, está muito ligado a cada empresa e suas políticas internas. Com as informações passadas, seria incoerência minha indicar alguma. O importante é analisar o mercado que irá atuar, suas expectativas na profissão e depois a melhor empresa na sua área.

      Uma coisa posso afirmar: O passo certo para ter sucesso na profissão é ser apaixonado por construir relações e ser resiliente. Pois a soma desses “ingredientes” irão contribuir muito para alcançar seus objetivos.

      Não entre apenas pensando em ganhar dinheiro. Não é sustentável. Pense. Analise, reflita e depois aja.

      Na próxima semana iremos publicar um artigo sobre o meu início na profissão.

      Espero ter contribuido. Fique à vontade para interagir sempre.

      Abraços.

  10. OLA, GOSTEI MUITO DO ARTIGO, PARABENS!!!!

    uMA QUESTAO QUE ACHO ESTRANHO NO MERCADO, ULTIMOS ANOS

    TEVE UMA DEMANDA DE ADMINISTRADORAS QUE SE TORNARAM IMOBILIARIAS

    PROPRIETARIOS DE IMOBILIARIAS QUE SE SENTEM COMO ADMINISTRANDO A VENDA

    DO IMOVEL, DE FORMA GROSSEIRA JA VI UMA QUESTAO, O QUE ACHA ELES SOBREVIVIEM, POIS JA VI ALGUNS SENDO PROCESSADOS O QUE ACHA.

    1. Olá Rubens, vamos fazer uma reflexão? Vivemos em um mercado cada vez mais globalizado e com as margens de lucro cada vez menores.Empresas estão focando cada vez mais nas pessoas e isso têm as diferenciado, principalmente na questão da prestação do serviço.

      Dessa forma, como prestar um bom serviço se não existe preparação, treinamento e especialização?

  11. Olá, Guilherme. Fui contrata para ser corretora de imóveis, pois nunca tive experiência na área e muito menos em venda. Você acha que eu irei gostar ou até progredir nesta área? Será que eu posso gostar?

    Obrigada.

    1. Olá Amanda, tudo bem?

      Gosta de se relacionar com pessoas? Estar em momentos únicos de felicidades? Sente-se desafiada nas dificuldades? Está disposta a dar o seu melhor sempre e nunca menos que isso? Aberta as novas “paixões” profissionais?

      Se sua resposta for: SIM, seja bem-vida a essa desafiante e estimuladora profissão chamada: Corretor de Imóveis. Mas saiba que: Engajamento, dedicação e resiliência são “temperos” obrigatórios na busca do sucesso.

      Sinta-se sempre à vontade para interagir conosco.

  12. Olá Guilherme.bom passei por seu blog e gostei muito das explicaçoes,estou iniciando na area e ja irei fazer estagio na ELITE sp,e gostaria de saber se estou fazendo a escolha certa eu trabalho atualmente de vigilante e o salario é limitado,eu gostaria de saber se é uma boa largar o serviço registrado e ganho certo mensal por um ganho e profissao duvidosa para ainda o meu conhecimento.a pergunta é concilio os dois serviços ate mim estabilizar ou mim dedico só na corretagem,e tambem nao tenho dinheiro para mim manter e queria saber no estagio eu ganho algum dinheiro?
    um abraço

    1. Olá Luiz Gonzaga, tudo bem?

      O estágio é uma excelente oportunidade para você conhecer melhor o mercado imobiliário, é onde você consegue na prática alinhar os conhecimentos adquiridos no curso de TTI com a vivência do corretor de imóveis. Portanto, aproveite bastante este momento.

      Ultimamente tenho recebido bastantes comentários de outros corretores que têm esta mesma dúvida que você. Hoje o nosso segmento tem apresentado muitas oportunidades, o que na prática tem atraído muitos profissionais de outras áreas de atuação que visualizam na intermediação imobiliária a possibilidade de melhorar a sua renda.

      O que sempre digo é que toda mudança é difícil, principalmente quando diz respeito à vida profissional. Minha dica é: avalie com calma o cenário e os desafios. Faça uma reflexão e analise as oportunidades e dificuldades de cada profissão, a sua identificação com cada uma delas e principalmente qual é a atividade que lhe proporciona uma maior satisfação, uma maior paixão em sem envolver naquilo que se propõe a desenvolver.

      Posso afirmar que a profissão de corretor de imóveis é fantástica e ao mesmo tempo desafiadora. Os resultados chegam, mas o retorno é a médio e longo prazo, portanto, é preciso estar estruturado financeiramente para investir na intermediação imobiliária.

      E como em qualquer outra profissão, para ter sucesso é preciso de foco, engajamento, aprendizado contínuo e comprometimento. É necessário avaliar se você consegue atender a estes requisitos desempenhando as duas atividades. E assim, com base nesta reflexão você poderá fazer aquela que julgar ser a escolha mais adequada às suas necessidades e a sua personalidade.

      Desejo que você tenha muito sucesso independente da sua escolha. Será sempre uma alegria contar com a sua participação em nosso blog.

  13. Ola Guilherme machado! Realmente muito bom seu texto sobre as desculpas usadas por alguns corretores.Estou me aperfeiçoando para entrar no ramo imobiliario, e confesso que estou um pouco nervosa, estou tentando vender meu primeiro imovél, porem, meu cliente é um daqueles clientes chatos que parecem enxergar defeito em tudo.Já usei todo tipo de argumento e pareçe que o cliente não se convencera que aquele imovél é o melhor pra ele.

    1. Olá Deni, tudo bem?

      A primeira venda a gente nunca esquece. Ela vem sempre cheia de muitos desafios, mas também de muitos aprendizados, pois nos relacionamos com uma variável muito complexa: o ser humano.

      E para que o nosso trabalho seja assertivo uma das nossas primeiras atitudes deve ser identificar o perfil do nosso cliente para assim descobrir qual é a sua real necessidade e oferecer a solução que o cliente verdadeiramente busca, e não aquilo que a gente mais gosta ou imagina ser o melhor.

      Às vezes, a ansiedade da venda, nos torna cego diante dos sinais dados pelos clientes. Queremos tanto vender que não paramos para verdadeiramente conhecer e escutar o nosso cliente. Eu acredito que a arte de escutar é a melhor e mais poderosa ferramenta de venda.

      Você já parou para pensar que talvez esteja na hora de mudar a estratégia?

      Eu tenho uma convicção de que o papel do corretor não é convencer o
      cliente, mas sim, conquistá-lo por meio de informações e conhecimentos bem embasados para assim, fazer um direcionamento de percepção que o leve a compreender o porquê que determinado imóvel é um bom negócio.

      Contudo, é preciso saber reconhecer um limite para esse impasse, pois se entrarmos em conflito com o cliente, pode ter certeza de que a venda não será efetivada, e o pior, as chances de você perder o cliente são muito grandes.

      Talvez seja melhor desistir deste imóvel específico, já que o cliente apresentou muitas objeções às quais você não conseguiu contornar ainda e estudar um pouco mais o comportamento e os desejos do seu cliente para assim buscar no seu banco de dados outro imóvel que possa melhor satisfazê-lo.

      A necessidade de entender um pouco mais do seu comportamento é um dos temas que mais me fascina e ao mesmo tempo me provoca, por isso, ele já refletido em vários posts aqui no blog, os quais eu convido a conhecê-los.

      Como vender para os diferentes tipos de clientes – http://iimob.me/8l

      Seja um Corretor Coach e venda mais – http://iimob.me/1×7

      Corretor de imóveis: cinco atitudes que nos fazem perder uma venda- http://iimob.me/1fe

      12 dicas para um corretor de imóveis eficiente – http://iimob.me/2s

      Corretor de imóveis: 4 dicas para transformar objeções em vendas – http://iimob.me/4h

      Corretor de imóveis: Como decifrar os sinais de compra? – http://iimob.me/3y

      Desejo que tenha muito sucesso em sua carreira e que possa compartilhar conosco novos desafios, mas, sobretudo, novas conquistas. Obrigado por sua participação.

      Abraço.

  14. Olá Guilherme,

    Parabéns, são pessoas como voce que engrandecem a vida. Estou começando no ramo imobiliário e os teus ensinamentos são muito valiosos para mim.

    Muito obrigado,
    Arnaldo Marcelinno

    1. Olá Arnaldo, seja bem-vindo ao nosso blog e ao mercado imobiliário.

      Temos recebido tantos comentários positivos que às vezes nos faltam palavras para expressar a nossa alegria e gratidão com o envolvimento de diferentes profissionais do mercado imobiliário com o nosso blog. Diante disso, só nos resta agradecer a parceria, a participação, a confiança e as palavras de motivação.

      O seu engajamento nos anima a melhorar cada vez mais, por isso, esteja sempre à vontade para interagir conosco e trocar experiências.

      Até a próxima!

  15. Adorei…descobri por acaso seu site…fantastico…esta de parabens.
    Serei sua seguidora, pois atuo no ramo imobiliario ha 05 anos e adoro minha profissao.

    Grata pelas informacoes

    1. Olá Sirlene, tudo bem?

      Para nós é uma grande alegria receber o seu feedback tão carinhoso. A cada dia aumenta o nosso empenho em construir um espaço atrativo e que contribua de forma efetiva para a melhoria do nosso segmento.

      Por isso, a convido não só a seguir o nosso blog, mas também a interagir conosco. A sua participação será valiosa para o nosso aprimoramento constante e para tornar este espaço sempre mais dinâmico e atual.

      Abraços e sucesso.

    1. Olá Luciana, tudo bem?

      Esta ansiedade no início da carreira é normal, porém devemos transformá-la em força motivadora para boas práticas a fim de que nossos objetivos sejam alcançados.

      Agradeço o seu feedback e verdadeiramente desejo que as experiências compartilhadas aqui no blog possam contribuir para o seu desenvolvimento profissional, afinal, provocar novos comportamentos para o mercado imobiliário é a nossa maior missão.

      Espero que você também possa compartilhar muitas experiências conosco aqui em nosso blog. Portanto, esteja sempre à vontade para interagir conosco, seja para tirar dúvidas, sugerir temas ou compartilhar casos do dia a dia.

      Juntos somos fortes.

  16. boa tarde guilherme machado,gostaria de me profundar mais no mercado imobiliário que estão em leilão ,existe algum curso especifico nessa areá?se possível mandar mais informação nesse email william_silva@rgoldimoveis.com.br

    1. Olá Willian, tudo bem?

      Obrigado por seu envolvimento em nossa reflexão e tão importante feedback. Esteja sempre à vontade para interagir conosco.

      Em relação ao curso, oriento que procure pelo Creci ou o Sindicato dos Corretores de Imóveis da sua região para obter este tipo de informação e pesquisa se um curso sobre este assunto na área em que você atua.

      Estes órgãos são importantes parceiros dos corretores de imóveis e poderão lhe encaminhar para um instituição de ensino de credibilidade e qualidade.

      Juntos somos fortes!!!

  17. Guilherme, parabéns pelo blog e suas abordagens são muito enriquecedoras para os(as) corretores(as). E aproveitando o ensejo, gostaria de me enquadrar em alguns dos fatores dos quais foram citados, e principalmente, quanto ao (vender o que gosta) – que eu tenho uma dificuldade enorme em aceitar vendar imóveis em LANÇAMENTO na planta. Nâo gosto de plantões, a rentabilidade é baixa, o risco de entrega do imóvel hoje está assustando, e ainda, a revenda de terceiros é mais rentável, e eu tenho comigo que desde 2007 trabalhar como autônomo tem suas vantagens muito melhores. Mas tive uma escola de 5 anos em uma unica imobiliaria e respeitei os princípios da ética e da verdade em fazer negócios apenas e tão somente por dentro e NAO POR FORA como muitos fazem hoje. Enfim, procuro ser sempre transparente, ético e muitas vezes isso me faz perder vendas por não aceitar situações, e em contra partida, outras pessoas de condutas diferentes acabam vendendo, mas não me abato com isso e estou com a consciencia tranquila. Abraços

    1. Olá Andrei,

      Obrigado por compartilhar conosco um pouco da sua história. Parabéns pela coragem de identificar as suas limitações, poucos são os corretores que buscam reconhecer suas dificuldades. Acredito que é por meio do entendimento de nossas potencialidades e fraquezas que podemos provocar novos comportamentos e quebrar regras.

      Juntos somos fortes!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


8 − sete =

Related Posts