Atualmente, a palavra sustentável está muito ligada à ideia de desenvolvimento responsável, aquele que é capaz de suprir as necessidades da geração atual sem comprometer as gerações futuras. Mas no post hoje, quero retomar o sentido primeiro da palavra para refletir sobre a importância de se tornar um gestor sustentável de sucesso.

“Que pode sustentar, mantendo-se constante ou estável por um longo período”. Esta é a definição da palavra sustentável de acordo com o dicionário Aurélio. Temos o desafio de construir negócios que atendam a este princípio perante um mundo em permanente mudança e esta missão, sem dúvida, passa pela mão dos gestores.

Tenho a impressão de que vivemos um apagão de liderança e de que essa deficiência sempre existiu, mas estava adormecida e hoje despertou graças às rápidas transformações globais que vêm acontecendo. Frequentemente nos deparamos com grandes problemas e que, muitas vezes, não contam com pessoas capacitadas para gerenciá-los.

Falta de visão? Comodismo? Seriam esses os motivos desse apagão?
Não estou aqui para dar respostas, mas para provocar uma reflexão e uma revisão de pensamento sobre o comportamento dos líderes atuais.

As empresas sempre buscaram por gestores capazes de alcançar resultados. A diferença é que hoje, mais do que nunca, esses resultados não podem ser temporários e devem estar sustentados não só por índices de desempenho elevados, mas por pessoas motivadas a evoluírem permanentemente.

Então, o que fazer para se tornar um gestor sustentável?

Acredito que o primeiro passo é entender que “Missão”, “Visão” e “Valores” de uma empresa são muito mais do que quadros pendurados em uma parede, são caminhos a serem percorridos e um gestor sustentável deve projetar esses princípios nas suas relações interpessoais.

Para isso, um líder sustentável deve cuidar da melhoria contínua de seus processos, mas também de seus liderados. Cabe ao gestor o papel de proporcionar à sua equipe a oportunidade de se tornar melhor a cada dia, não só nos processos produtivos, mas também na evolução como pessoas.

Esse gestor sustentável tem a clareza de que é entendendo e focando nas pessoas que a necessidade de retrabalho diminuirá gradativamente.

E neste sentido, as suas ações devem ser harmoniosas nas relações humanas com o ambiente, que deve ser entendido como um espaço de vivência que necessita de equilíbrio.

Além disso, as decisões de um gestor sustentável precisam ser coerentes com os indicativos de um desenvolvimento consciente que gere o menor impacto possível à natureza, pois preocupar-se com a natureza é preocupar-se também com as pessoas.

E por fim, esse líder é global, pois ele compreende que trabalha com culturas, valores e crenças diferentes e que o seu sucesso está em saber gerenciar corretamente essa diversidade. Entender tais particularidades é estar mais próximo das pessoas e assim, encontrar o caminho para atingir os resultados esperados.

Devemos lembrar que essas características não se esgotam em si, pois a busca pela gestão sustentável deve ser contínua.

E você, já havia pensando neste conceito de gestor sustentável? Conhece algum gestor com este perfil?
Interaja conosco, quero conhecer sua opinião.

——-
Gostou das dicas? Sabia que você pode receber o nosso conteúdo diretamente em seu e-mail?
Basta assinar o nosso “Fique por dentro”. Dessa maneira você fica atualizado com as principais novidades, análises e notícias do mercado imobiliário.

Esse conteúdo é publicado sob a licença Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 Unported.

1 comment
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


7 + nove =

Related Posts